Resenha crítica (34ª Edição): Tove Lo- "Lady Wood"

Avaliação: 73.3 (Bom)

Tove Lo explora música eletrônica e sexismo em "Lady Wood"

A sueca Tove Lo lançou seu segundo álbum de estúdio, "Lady Wood" com 10 faixas inéditas e duas interludes. Para o disco, ela apostou em sons mais eletrônicos e que combinam perfeitamente com o que está tocando nas rádios nos dias de hoje. 

O sexismo é bastante presente nas letras das canções, sendo que em 8 delas tem vocabulário esplícito. No encarte e na capa do disco inspirado na do álbum clássico "Like A Prayer" da Madonna também tem apelo sexual. Mas nada disso está sendo citado de forma pejorativa.

O álbum é aberto com a faixa "Influence", parceria com o rapper Wiz Khalifa que dispensa apresentações. A música em si é uma boa apresentação do que está por vir nas demais faixas, uma boa batida eletrônica combinada à vocais suaves.

 A letra desta canção é outro assunto que Tove Lo sabe abordar muito bem, é sobre estar embriagado, só que diferente de "Habits", aqui ela conta que não deve confiar nos confissões que ela faz quando está sobre efeito de álcool. Quem nunca acabou falando besteira quando estava bêbado, não é mesmo?

"Lady Wood" ("mocinha excitada" em português) é a faixa que da nome ao álbum, ela conta com vocais limpos no pré-refrão seguida de um batidão eletrônico presente em todas as faixas. A letra fala sobre ela querer ficar com alguém especial que não é muito bem visto pelas outras pessoas.

"True Disaster" é um grande potencial do disco, a sonoridade lembra os hits "Love Me Header" da Ariana Grande e "Do What U Want" de Lady Gaga. A letra é bem bissexual e diz que ela é um verdadeiro desastre em relacionamentos, pois os meninos não tem o necessário para agradar ela e as meninas sempre caem fora.

A faixa seguinte é "Cool Girl", mas esta dispensa apresentações.



"Vibes" sucede o hit do álbum em sua tracklist e é o grande destaque até agora, a parceria com Joe Jeniak começa só com voz e violão e vai crescendo à medida que a música vai passando. Deve ser por isso que ela se sobressai.

"Don't Talk About it" é a faixa mais fraca do disco até agora, mas isso não tira o crédito da canção. A próxima é "Imaginary Friend" ("amigo imaginário" em português), uma grande hino para ouvir quando estiver na bad.

Entre as três músicas finais temos "Keep It Simple", que não é só a melhor música do álbum como da carreira da Tove Lo. Em seguida temos "Flashes" e "WTF Love Is" que encerra o álbum se questionado sobe o que é o amor.

Notas:

  1. Influence: 70/100
  2. Lady Wood: 70/100
  3. True Disaster: 75/100
  4. Cool Girl: 80/100
  5. Vibes: 85/100
  6. Don't Talk About it: 61/100
  7. Imaginary Friend: 70/100
  8. Keep It Simple: 100/100
  9. Flashes: 61/100
  10. WTF Love Is: 61/100


About Ridval R. Ferreira

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.