Cientistas revelam que William Shakespeare fumava maconha

Se você se encanta com as obras de William Shakespeare , então vai ficar surpreso com uma pesquisa feita por estudiosos! Tentando desvendar o mistério por trás do que era fumado em cachimbos encontrados no jardim da residência de Shakespeare, em Stratford-upon Avon, eles acabaram descobrindo resíduos de maconha.

As amostras foram analisadas em Pretória usando uma técnica sofisticada chamada espectrometria de massa de cromatografia em fase gasosa. Segundo Frances Thackeray, chefe do departamento de Paleontologia do Museu Transvaal de Pretória, as palavras utilizadas por Shakespeare sugeriam uma influência alucinógena induzida pela droga. Como um exemplo, o científico ressaltou o Soneto Número 76 , na qual o dramaturgo faz uma referência a uma “célebre erva”.

About Ridval R. Ferreira

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.